Leprosário do Francês

Um dos lugares mais curiosos e interessantes da praia do francês é o conhecido “leprosário”. Para quem não conhece muito bem a região do estado de Alagoas, a praia do francês fica bem perto da cidade de Maceió. Seria algo pertencente à região metropolitana de Maceió ou grande Maceió (como preferirem). A praia do francês, mesmo estando perto de Maceió (por volta de 30 km em estrada de via dupla e com vista para o mar), pertence ao município de Marechal Deodoro.
Para quem não sabe o município de Marechal Deodoro é bem grande e se espalha por toda esta região circunvizinha da área da praia do francês. Dentre os povoados, que são uma espécie de mini-bairros-cidades que se destacam temos a Massagueira, Santa Rita, Barra Nova, praia do francês, diversos povoados como Pedras, Cabreiras e Malhadas e a própria cidade de Marechal Deodoro, que é composta em sua maioria de casarões antigos e de arquitetura simpática e tradicionalmente nordestina.


A praia do francês é um dos locais que mais se destaca no litoral sul. Suas belezas naturais são inimagináveis. Somente visitando e conhecendo para entender o que estou falando. É lá que a CavaloTerapia nasceu e ganhou história. Nas longas e exaustivas cavalgadas pela região conheci e adotei aquele templo como um pedaço da história da cavaloterapia. Além de ser um local que gera no mínimo uma curiosidade pelo seu misto de beleza e história, algo selvagem, ruínas enormes, local que parece ter alguns séculos de história. E tem. Segundo algumas pesquisas feitas por mim o local pode ter sido construído na primeira década de 1500, aproximadamente 1510, nos primeiros anos do descobrimento do Brasil.


Segundo consta a história o local era rico em pau-Brasil, mercadoria valiosa na época, e a construção do leprosário era uma espécie de tentativa de mascarar o intenso tráfico de mercadorias que ocorria no local. Este mercado ocorria entre países como a França, Inglaterra e Holanda, daí toda a influência e a formação do nome praia do francês.
Seria o leprosário um ponto escondido para fomentar tal atividade? Que após aproximadamente cem anos foi descoberto e reprimido este comércio ilegal. Mas isto são informações imprecisas e pouco institucionalizadas. O que vale a pena é visitar o local. Um misto de alegria, euforia, tranquilidade e estar impressionado com as belezas. Tem cada pico muitíssimo legal para tirar foto, eu garanto, conheço a maioria.
As maneiras mais comuns de se chegar no leprosário são pelas trilhas que ficam na lateral da praia. É relativamente perto, mas não se recomenda ir sozinho pela primeira vez, até por questão de segurança. Tem duas boas opções: ir caminhando e a segunda e melhor delas, a cavalo! Posso afirmar com todas as minhas forças que as trilhas de areia e pequenos morros e dunas recheados de coqueiros e vistas fenomenais para o mar foram feitos para andar a cavalo. É simplesmente perfeito, encaixa muito bem o galope ou mesmo o trotezinho pelas dunas, parar, tirar foto, vai para outro morro, e assim vai.
Se você leu esta história, verá também as fotos do local, anexadas ao site e não perca tempo em viver essa sensação por preços bem acessíveis! Ligue, mande email, mensagem ou zap para nós (informações aqui no site) e reserve seu passeio e trilha ecológica pelo leprosário do francês.   

left show tsN fwB|left tsN fwB|left show fwB|bnull||image-wrap|login news fwB tsN fwR tsY b01 c05 bsd|normalcase fsN fwR b01 c05 bsd|b01 c05|news login normalcase fwR b01 c05 bsd|tsN normalcase fwR b01 c05 bsd|b01 normalcase c05 bsd|content-inner||